NOTÍCIAS

29/07/2013 - Catarinense Alejo Muniz é o campeão do ASP Prime US Open of Surfing na Califórnia

O catarinense Alejo Muniz, 23 anos, ganhou um dos campeonatos mais tradicionais do ASP World Tour diante de uma multidão que sempre lota Huntington Beach para assistir o US Open of Surfing na Califórnia. 

Na grande final, o brasileiro derrotou mais um jovem talento do surfe norte-americano, Kolohe Andino, 19, nas duas primeiras ondas que surfou na bateria e valeram notas 8,43 e 7,80. Alejo estava fora da zona de classificação para o WCT do ano que vem e, com os 6.500 pontos recebidos no ASP Prime dos Estados Unidos, assumiu a liderança na lista dos dez surfistas indicados pelo ASP World Ranking para completar a elite dos top-34, além de faturar o prêmio especial de 100 mil dólares pela vitória na Califórnia.

"Estou muito feliz e nem consigo acreditar que venci esse campeonato", disse Alejo Muniz. "Hoje (domingo) marca o aniversário de quatro anos do falecimento do meu avô e quero dedicar este título a ele. Esta é maior vitória da minha carreira e na frente da maior multidão que eu já surfei na minha vida. Eu sabia que tinha que tirar notas altas logo no começo da bateria, porque as ondas estavam morrendo na maré cheia, mas o oceano realmente cooperou comigo hoje".

Dois brasileiros disputaram as quartas de final que abriram o domingo decisivo na sempre lotada Huntington Beach. No sábado, Adriano de Souza ganhou o duelo verde-amarelo contra o potiguar Jadson André na primeira bateria das oitavas de final. Na segunda, Kolohe Andino barrou o defensor do título do US Open, o australiano Julian Wilson, para enfrentar Mineirinho no primeiro confronto do domingo. E o californiano levou a melhor para vencer com um placar apertado de 14,66 a 13,27 pontos.

Mas, Alejo Muniz salvou a pátria com uma tranquila vitória por 13,64 a 5,83 pontos sobre o norte-americano Nat Young na bateria que fechou as quartas de final. Nas semifinais, Kolohe Andino bateu o experiente Bede Durbidge por 14,00 a 11,76 e Alejo Muniz despachou outro australiano que foi a surpresa do evento, Matt Banting, também por 14,00 pontos contra 11,50. Os dois australianos dividiram a terceira posição na Califórnia.

"Eu vim muito focado neste evento porque eu não tinha tido nenhum grande resultado esse ano", contou Alejo Muniz. "Eu coloquei tudo neste evento e o trabalho valeu a pena. Me concentrei mais em mim do que com quem eu estava surfando e que pontuação que eles estavam recebendo. Eu sabia que só precisava pegar boas ondas e surfar meu máximo, então estou feliz porque fui capaz de surfar bem nessa semana, que foi incrível para mim".

O americano Kolohe Andino derrubou grandes adversários, mas na final só conseguiu surfar uma onda boa que valeu nota 7,77. Ele não achou outra com potencial para poder virar o resultado contra Alejo Muniz, que faturou o prêmio especial de 100 mil dólares da Vans no US Open of Surfing. 

Normalmente, o campeão nas etapas do ASP Prime recebe 40 mil dólares, mas a decisão do título em Huntington Beach valeu 80 mil dólares, já que o vice-campeão ganhou apenas 20 mil dólares."Parabéns ao Alejo (Muniz)", desejou Kolohe Andino, concordando com o resultado. "Ele surfou de forma incrível durante toda a semana, na final pegou duas boas ondas no início e mereceu a vitória. Teria sido muito bom ganhar o campeonato, mas eu simplesmente não consegui encontrar uma segunda onda boa para isso. Mesmo assim, estou feliz por ter feito a final".

SETE BRASILEIROS NO WCT - 

Com a entrada de Alejo Muniz no grupo dos 10 que o ASP World Ranking classifica para o WCT, agora são sete brasileiros que aparecem na lista provisória dos top-32 para o ano que vem. Os paulistas Adriano de Souza, Filipe Toledo e Gabriel Medina estão garantindo suas permanências entre os 22 que são mantidos na elite pelo ranking do WCT, com Alejo Muniz, o potiguar Jadson André, o carioca Raoni Monteiro e o catarinense Willian Cardoso, entrando pelo G-10 do ASP World Ranking.Depois do US Open, terão mais quatro etapas do ASP World Prime até o fim da temporada para fechar este grupo que completa os top-32 do WCT. Serão duas em Portugal nos meses de setembro e outubro e as duas últimas em Haleiwa e Sunset Beach pela Tríplice Coroa Havaiana na ilha de Oahu, em novembro e dezembro. Estas provas são decisivas para os surfistas que não são da elite se classificarem para a divisão principal do ASP World Tour.

Fotos: Sean Rowland / ASP

João Carvalho - Assessoria de Imprensa da ASP South America - jcarvalho@aspworldtour.com 



Acesse histórico completo >>

 



© Copyright 2010-2012 - Todos os direitos reservados
Saul Oliveira Fotografia
+55 (48) 8408-6919
contato@sauloliveira.com.br